21/08/2020
02/09/2020
11/10/2020
R$ 8.300,00
350
13/10/2020

Anexos

O Ministério da Economia divulgou no Diário Oficial da União desta sexta-feira, 7 de agosto, que já definiu a organizadora da nova seleção pública que vai contratar novos servidores temporários para preencher 350 vagas no órgão. Com a banca definida, o edital deve sair até o fim do mês.

O governo diz que a nova seleção será para "atender à necessidade temporária de excepcional interesse público e as contratações serão formalizadas mediante disponibilidade orçamentária específica", observando-se os demais requisitos. O edital tem prazo para sair dentro de 5 meses, prazo definido pela portaria, mas se levarmos em conta outras seleções temporárias realizadas pelo governo, como no IBAMA, o edital deve sair já nos próximos dias.

Banca para seleção com 350 vagas no Ministério da Economia será o Cebraspe - Reprodução: DOU de 07/08
Banca para seleção com 350 vagas no Ministério da Economia será o Cebraspe - Reprodução: DOU de 07/08

A autorização para abertura da nova seleção de servidores para as 350 vagas foi divulgada pelo Secretário Especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital do Ministério, por meio da Portaria 16.017 no Diário Oficial de 10 de julho.

Veja a distribuição das 350 vagas no Ministério da Economia

A portaria que autorizou o processo seletivo não definiu a exigência dos cargos, mas tendo em vista a complexidade das funções, os interessados deverão ter ensino superior completo, experiência de no mínimo 5 anos e possuir ainda mestrado ou doutorado. Os salários dos profissionais a serem contratados serão definidos pelo Ministério da Economia e divulgados no edital de abertura. Conforme as remunerações do quadro, os salários devem ficar na faixa dos R$ 8 mil mensais.

Veja o quadro das 350 vagas para atividade Técnicas de Complexidade Gerencial, de Tecnologia da Informação e de Engenharia Sênior:

Cargo Vagas
Especialista em Gestão de Projetos 50
Especialista em Infraestrutura de Tecnologia da Informação TI 50
Especialista em Ciência de Dados 50
Especialista em Segurança da Informação e Proteção de Dados 50
Especialista em Análise de Processos de Negócios 50
Especialista em Experiência do Usuário (UX) 50
Especialista em Desenvolvimento de Software 50

O contrato de trabalho terá prazo de duração de, no máximo, quatro anos, mas poderá ainda ser prorrogado, segundo o governo. Veja a portaria que autorizou a nova seleção:

Ministério da Economia vai abrir 350 vagas em 2020 - Reprodução: Diário Oficial
Ministério da Economia vai abrir 350 vagas em 2020 - Reprodução: Diário Oficial

Economia teve último concurso em 2015, quando ainda era Planejamento

Em 2015, o então Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, atualmente o Ministério da Economia, promoveu seu último concurso - veja o edital.

Foram 556 vagas abertas para cargos de nível superior para o quadro do Ministério e da Escola Nacional de Administração Pública (ENAP). O concurso foi executado pelo Centro de Seleção e de Promoção de Eventos da Universidade de Brasília (Cebraspe) e teve oportunidades nas regiões Sul, Sudeste, Nordeste, Norte e Centro-Oeste, para lotação nas cidades de Brasília/DF, Boa Vista/RR, Macapá/AP, Porto Velho/RO, Rio de Janeiro/RJ, Campo Grande/MS, Rio Branco/AC, Palmas/TO, São Paulo/SP, Belém/PA, Salvador/BA, Recife/PE, Aracaju/SE, Manaus/AM, Goiânia/GO, Cuiabá/MT, Maceió/AL, Fortaleza/CE, São Luís/MA, João Pessoa/PB, Parnaíba/PI, Natal/RN, Vitória/ES, Belo Horizonte/MG, Curitiba/PR, Porto Alegre/RS e Florianópolis/SC.

As vagas foram distribuídas entre os cargos de Analista em Tecnologia da Informação (300), Administrador (6), Analista Técnico-Administrativo (83), Arquivista (9), Contador (14), Médico (4), Técnico em Assuntos Educacionais (1), Arquiteto (16), Economista (7), Engenheiro (54), Assistente Social (7), Geógrafo (17), Geólogo (16), Técnico de Nível Superior (4) e Técnico em Assuntos Educacionais (18). Os salários dos profissionais variam entre R$ 3.625,42 e R$ 5.596,31, com jornada de trabalho de 20 horas para Médicos e de 40 horas para os demais cargos.

O concurso teve prova objetiva e prova discursiva, de caráter eliminatório e classificatório, para todos os cargos, mais avaliação de títulos, de caráter classificatório, apenas para o cargo de Analista em Tecnologia da Informação.

As provas ocorreram em agosto de 2015 nas 26 capitais dos estados da Federação e no Distrito Federal.

Anexos