Questões filtradas por: cargo de escrevente técnico judiciário

Quer testar seus conhecimentos de maneira rápida, fácil e eficiente? Responda aqui milhares de questões grátis de concursos anteriores. Você pode filtrar as questões por cargo, órgão, matéria e banca de acordo com o seu objetivo. Prepare-se para os concursos públicos.
001 Matéria: Português Órgão: TJ-SP Ano: 2015


Ser gentil é um ato de rebeldia. Você sai às ruas e i nsiste, briga, luta para se manter gentil. O motorista quase te mata de susto buzinando e te xingando porque você usou a faixa de pedestres quando o sinal estava fechado para ele. Você posta um pensamento gentil nas redes s ociais apesar de ler dezenas de comentários xenofóbicos, homo­ fóbicos, irônicos e maldosos sobre tudo e todos. Inclusive você. Afinal, você é obviamente um idiota gentil.

Há teorias evolucionistas que defendem que as socie­ dades com maior número de pessoas altruístas sobrevi­ veram por mais tempo por serem mais capazes de manter a coesão. Pesquisadores da atualidade dizem, baseados em estudos, que gestos de gentileza liberam substâncias que proporcionam prazer e felicidade.

Mas gentileza virou fraqueza. É preciso ser macho pacas para ser gentil nos dias de hoje. Só consigo asso­ ciar a aversão à gentileza à profunda necessidade de ser - ou parecer ser - invencível e bem­sucedido. Nossas fragilidades seriam uma vergonha social. Um empecilho à carreira, ao acúmulo de dinheiro.

Não ter tempo para gentilezas é bonito. É justificá­ vel diante da eterna ambivalência humana: queremos ser bons, mas temos medo. Não dizer bom­dia significa que você é muito importante. Ou muito ocupado. Humi­ lhar os que não concordam com suas ideias é coisa de gente forte. E que está do lado certo. Como se houvesse um lado errado. Porque, se nenhum de nós abrir a boca, ninguém vai reparar que no nosso modelo de felicidade tem alguém chorando ali no canto. Porque ser gentil abala sua autonomia. Enfim, ser gentil está fora de moda. Estou sempre fora de moda. Querendo falar de gentileza, ima­ ginem vocês! Pura rebeldia. Sair por aí exibindo minhas vulnerabilidades e, em ato de pura desobediência civil, esperar alguma cumplicidade. Deve ser a idade.

(Ana Paula Padrão, Gentileza virou fraqueza. Disponível em: < http://www.istoe.com.br>. Acesso em: 27 jan 2015. Adaptado)

Observa­se que, no 1 o parágrafo, a autora emprega os pronomes te e você para se referir a um virtual leitor e, no 3 o parágrafo, emprega a expressão pacas (É preciso ser macho pacas).

Essas duas escolhas permitem inferir que ela

002 Matéria: Sequências Lógicas de Números, Letras, Palavras e Figuras Órgão: TJ-SP Ano: 2014

Observe as regularidades da sequência a seguir:

(10; 11; 20; 21; 22; 30; 31; 32; 33; 40; . . . ; 98; 99).

Pode-se afirmar corretamente que a soma dos algarismos que compõem o 38º elemento é

003 Matéria: Política Órgão: TJ-SP Ano: 2013

Em outubro de 2012, a imprensa destacou amplamente o processo eleitoral. Com acusações de ambos os lados, as eleições foram acompanhadas por observadores internacionais, dentre eles, o ex-presidente dos EUA, Jimmy Carter, que garantiu a legitimidade do processo.

O país envolto na polêmica foi

004 Matéria: Falsidade de documento público Órgão: TJ-SP Ano: 2012

O crime de falsificação de documento público, do art. 297 do CP,


I. configura-­se apenas se a falsificação é total, ou seja, a mera alteração de documento público verdadeiro não constitui crime;


II. também se configura se o documento trata-­se de testa­mento particular;


III. também se configura se o documento trata-­se de livro mercantil.


É correto, apenas, o que se afirma em

005 Matéria: Álgebra Órgão: TJM-SP Ano: 2011

Três estudantes de arquitetura construíram uma maquete em conjunto e combinaram que o valor total gasto com a compra dos materiais necessários seria dividido entre eles, de forma inversamente proporcional ao número de horas que cada um trabalhou na elaboração da maquete. Observe a tabela.

Imagem 005.jpg

Nesse caso, pode-se afirmar que x e y valem, respectivamente,

006 Matéria: Português Órgão: TJ-SP Ano: 2015

Palavras, percebemos, são pessoas. Algumas são sozinhas: Abracadabra. Eureca. Bingo. Outras são pro­ míscuas (embora prefiram a palavra “gregária”): estão sempre cercadas de muitas outras: Que. De. Por.

Algumas palavras são casadas. A palavra caudaloso, por exemplo, tem união estável com a palavra rio - você dificilmente verá caudaloso andando por aí acompanha­ da de outra pessoa. O mesmo vale para frondosa, que está sempre com a árvore. Perdidamente, coitado, é um advérbio que só adverbia o adjetivo apaixonado. Nada é ledo a não ser o engano, assim como nada é crasso a não ser o erro. Ensejo é uma palavra que só serve para ser aproveitada. Algumas palavras estão numa situação pior, como calculista, que vive em constante ménage (*) , sempre acompanhada de assassino, frio e e.

Algumas palavras dependem de outras, embora não sejam grudadas por um hífen - quando têm hífen elas não são casadas, são siamesas. Casamento acontece quando se está junto por algum mistério. Alguns dirão que é amor, outros dirão que é afinidade, carência, preguiça e outros sentimentos menos nobres (a palavra engano, por exemplo, só está com ledo por pena - sabe que ledo, essa palavra moribunda, não iria encontrar mais nada a essa altura do campeonato)

Esse é o problema do casamento entre as palavras, que por acaso é o mesmo do casamento entre pessoas. Tem sempre uma palavra que ama mais. A palavra árvore anda com várias palavras além de frondosa. O casamento é aberto, mas para um lado só. A palavra rio sai com vá­ rias outras palavras na calada da noite: grande, comprido, branco, vermelho - e caudaloso fica lá, sozinho, em casa, esperando o rio chegar, a comida esfriando no prato.

Um dia, caudaloso cansou de ser maltratado e resol­ veu sair com outras palavras. Esbarrou com o abraço que, por sua vez, estava farto de sair com grande, essa palavra tão gasta. O abraço caudaloso deu tão certo que ficaram perdidamente inseparáveis. Foi em Manuel de Barros. Talvez pra isso sirva a poesia, pra desfazer ledos enganos em prol de encontros mais frondosos. (Gregório Duvivier, Abraço caudaloso.

Disponível em: < http://www1.folha.uol.com.br/>. Acesso em: 02 fev 2015. Adaptado)

(*) ménage: coabitação, vida em comum de um casal, unido legitima­ mente ou não.

A partir da ideia de que palavras “são pessoas", o autor atribui às palavras caracterização própria de humanos. É correto afirmar que, nesse procedimen­ to, ele emprega

007 Matéria: Da Inquirição de Testemunhas, Do Reconhecimento de Pessoas ou Coisas e das Diligências em Geral Órgão: TJM-SP Ano: 2011

A precedência na inquirição das testemunhas seguirá a seguinte ordem:

008 Matéria: Lógica de Argumentação - Diagramas e Operadores Lógicos Órgão: TJ-SP Ano: 2014

Considere verdadeiras as afirmações:
• Todos os cães latem.
• Todos os cães possuem quatro patas.
• Os gatos também possuem quatro patas.
• Alguns seres humanos imitam os latidos dos cães.
• Nem todos os cães mordem e alguns gatos arranham.
A partir dessas afirmações, pode-se concluir, corretamente, que

009 Matéria: Recursos Órgão: TJ-SP Ano: 2015

O agravo retido é modalidade de recurso. Quanto a isso, assinale a alternativa correta

010 Matéria: Lei nº 9.099, de 26 de Setembro de 1995 (Lei dos Juizados Especiais) Órgão: TJ-SP Ano: 2013

Com relação às infrações de menor potencial ofensivo, seu processo e julgamento, é correto afirmar que

Siga nossas redes sociais