Questões filtradas por: cargo de fiscal de tributos

Quer testar seus conhecimentos de maneira rápida, fácil e eficiente? Responda aqui milhares de questões grátis de concursos anteriores. Você pode filtrar as questões por cargo, órgão, matéria e banca de acordo com o seu objetivo. Prepare-se para os concursos públicos.
001 Matéria: Windows Explorer - conceitos de organização de pastas e arquivos Órgão: Prefeitura de Pau dos Ferros - RN Ano: 2008

Para que as informações digitadas em um aplicativo possam ser recuperadas posteriormente e manipuladas novamente, devem ser guardadas, num meio de armazenamento permanente:

002 Matéria: IPTU Órgão: Prefeitura de Arapongas - PR Ano: 2010

Sobre o Imposto sobre a Propriedade Predial e Territorial Urbana, segundo o disposto no Código Tributário Nacional, assinale CORRETA:

003 Matéria: Significação Contextual de Palavras e Expressões. Sinônimos e Antônimos. Órgão: Prefeitura de Arapongas - PR Ano: 2010

Otto Lara Resende

Acho que foi o Hemingway quem disse que olhava cada coisa à sua volta como se a visse pela última vez. Pela última ou pela primeira vez? Pela primeira vez foi outro escrito quem disse. Essa idéia de olhar pela última vez tem algo de deprimente. Olha de despedida, de quem não crê que a vida continua, não admira que o Hemingway tenha acabado como acabou. Fugiu enquanto pôde do ____________ que o roía - e daquele tiro brutal.
Se eu morrer, morre comigo um certo modo de ver, disse o poeta. Um poeta é só isto: um certo modo de ver. O diabo é que, de tanto ver, a gente ________ o olhar. Vê não-vendo. Experimente ver pela primeira vez o que você vê todo dia, sem ver. Parece fácil, mão não é. O que nos cerca, o que nos é familiar, já não desperta _______________. O campo visual da nossa rotina é como um vazio.
Você sai todo dia, por exemplo, pela mesma porta. Se alguém lhe perguntar o que é que você vê no seu caminho, você não sabe. De tanto ver, você não vê. Sei de um profissional que passou 32 anos a fio pelo mesmo hall do prédio do seu escritório. Lá estava sempre, pontualíssimo, o mesmo porteiro. Dava-lhe bom-dia e às vezes lhe passava um recado ou uma correspondência. Um dia o porteiro cometeu a descortesia de falecer.
Como era ele? Sua cara? Sua voz? Como se vestia? Não fazia a mínima idéia. Em 32 anos, nunca o viu. Para ser notado, o porteiro teve que morrer. Se um dia no seu lugar estive uma girafa, cumprindo o rito, pode ser também que ninguém desse por sua ausência. O hábito suja os olhos e lhes baixa a voltagem. Mas há sempre o que ver. Gente, coisas, bicho. E vemos? Não, não vemos.
Uma criança vê o que o adulto não vê. Tem olhos atentos e para o espetáculo do mundo. O poeta é capaz de ver pela primeira vez o que, de fato, ninguém vê. Há pai que nunca viu o próprio filho. Marido que nunca viu a própria mulher, isso existe às pampas. Nossos olhos são opacos, se gastam no dia-a-dia. É por aí que se instala no coração o monstro da indiferença.


Jornal Folha de S. Paulo, 23 fev. 1992.

Atente para as afirmações:

I – O autor do texto compartilha com a opinião de Hemingway sobre a maneira de olhar as coisas.
II – Para o autor o poeta tem um modo todo peculiar de ver o mundo. Consegue captar muita coisa da vida rotineira que passa despercebida para a grande maioria das pessoas.
III – Segundo o autor é difícil ver as coisas que estão ao nosso redor como se fosse pela primeira vez porque no campo visual nossa rotina não existe.

Assinale a alternativa em que as afirmações relacionadas ao texto estão corretas:

004 Matéria: Legislação do Município de Pau dos Ferros (Rio Grande do Norte) Órgão: Prefeitura de Pau dos Ferros - RN Ano: 2008

A questão seguinte deve ser respondida com base no Código Tributário do Município de Pau dos Ferros.

O imposto sobre transmissão intervivos de bens imóveis, por ato oneroso, tem como fato gerador a

005 Matéria: Matemática Financeira Órgão: Prefeitura de Pau dos Ferros - RN Ano: 2008

O valor investido em regime de capitalização simples, a uma taxa de 2,5% ao mês, que irá gerar um rendimento de R$ 200,00 após um bimestre, é

006 Matéria: Microsoft Excel Órgão: Prefeitura de Arapongas - PR Ano: 2010

Com relação a conhecimentos básicos do Excel, analise as afirmativas abaixo:

I - o botão imagem-003.jpg que aparece na barra de fórmulas tem o nome de auto soma e sua função é somar uma área selecionada na planilha.
II - para utilizar fórmulas no Excel é obrigatório o uso do sinal de igual.
III - a interseção de uma coluna com uma linha é chamado de célula, esta interseção é que dará a sua referência, e a célula estará ativa sempre que o cursor nela estiver parado.

Assinale a alternativa incorreta
:

007 Matéria: Solidariedade e Responsabilidade Tributária Órgão: Prefeitura de Arapongas - PR Ano: 2010

Segundo o Código Tributário Nacional, a pessoa jurídica de direito privado que resultar de fusão, transformação ou incorporação de outra ou em outra:

008 Matéria: Microsoft Excel 2003 Órgão: Prefeitura de Pau dos Ferros - RN Ano: 2008

A tabela a seguir representa os dados de uma planilha do MS Excel 2003 com informações sobre os jogadores de um campeonato fictício:

imagem-006.jpg

Sabendo-se que, na célula D3, foi digitada a fórmula: =SE(B3>=16; SE(C3>=1,6;”Compete”;”Não Compete”); ”Não Compete”) , a qual, em seguida, foi copiada para os demais jogadores, pode-se afirmar que os competidores serão:

009 Matéria: Capacidade, Domicílio e Sujeitos da Obrigação Tributária Órgão: Prefeitura de Arapongas - PR Ano: 2010

Segundo o Código Tributário Nacional, o sujeito passivo da obrigação principal, quando tenha relação pessoal e direta com a situação que constitua o respectivo fato gerador é chamado de:

010 Matéria: Significação Contextual de Palavras e Expressões. Sinônimos e Antônimos. Órgão: Prefeitura de Arapongas - PR Ano: 2010

Otto Lara Resende

Acho que foi o Hemingway quem disse que olhava cada coisa à sua volta como se a visse pela última vez. Pela última ou pela primeira vez? Pela primeira vez foi outro escrito quem disse. Essa idéia de olhar pela última vez tem algo de deprimente. Olha de despedida, de quem não crê que a vida continua, não admira que o Hemingway tenha acabado como acabou. Fugiu enquanto pôde do ____________ que o roía - e daquele tiro brutal.
Se eu morrer, morre comigo um certo modo de ver, disse o poeta. Um poeta é só isto: um certo modo de ver. O diabo é que, de tanto ver, a gente ________ o olhar. Vê não-vendo. Experimente ver pela primeira vez o que você vê todo dia, sem ver. Parece fácil, mão não é. O que nos cerca, o que nos é familiar, já não desperta _______________. O campo visual da nossa rotina é como um vazio.
Você sai todo dia, por exemplo, pela mesma porta. Se alguém lhe perguntar o que é que você vê no seu caminho, você não sabe. De tanto ver, você não vê. Sei de um profissional que passou 32 anos a fio pelo mesmo hall do prédio do seu escritório. Lá estava sempre, pontualíssimo, o mesmo porteiro. Dava-lhe bom-dia e às vezes lhe passava um recado ou uma correspondência. Um dia o porteiro cometeu a descortesia de falecer.
Como era ele? Sua cara? Sua voz? Como se vestia? Não fazia a mínima idéia. Em 32 anos, nunca o viu. Para ser notado, o porteiro teve que morrer. Se um dia no seu lugar estive uma girafa, cumprindo o rito, pode ser também que ninguém desse por sua ausência. O hábito suja os olhos e lhes baixa a voltagem. Mas há sempre o que ver. Gente, coisas, bicho. E vemos? Não, não vemos.
Uma criança vê o que o adulto não vê. Tem olhos atentos e para o espetáculo do mundo. O poeta é capaz de ver pela primeira vez o que, de fato, ninguém vê. Há pai que nunca viu o próprio filho. Marido que nunca viu a própria mulher, isso existe às pampas. Nossos olhos são opacos, se gastam no dia-a-dia. É por aí que se instala no coração o monstro da indiferença.


Jornal Folha de S. Paulo, 23 fev. 1992.

Assinale a alternativa que preenche corretamente as lacunas do texto:

Siga nossas redes sociais