Questões filtradas por: cargo de professor - educação infantil

Quer testar seus conhecimentos de maneira rápida, fácil e eficiente? Responda aqui milhares de questões grátis de concursos anteriores. Você pode filtrar as questões por cargo, órgão, matéria e banca de acordo com o seu objetivo. Prepare-se para os concursos públicos.
001 Matéria: Pedagogia Órgão: Prefeitura de Congonhas - MG Ano: 2010

Sobre os CBC’s (Conteúdos Básicos Curriculares), analise:

I. Os CBC’s não esgotam os conteúdos a serem abordados na escola, mas expressam os aspectos fundamentais de cada disciplina, que não podem deixar de ser ensinados e que o aluno não pode deixar de aprender.

II. Nos CBC’s estão indicadas as habilidades e competências que o aluno não pode deixar de adquirir e desenvolver.

III. A elaboração anual do Programa de Avaliação de Educação Básica (PROEB) e o Programa de Avaliação da Aprendizagem Escolar (PAAE) têm como base os CBC’s, para o estabelecimento de um plano de metas para cada escola.

IV. Para assegurar a implantação bem sucedida do CBC nas escolas, foi desenvolvido um sistema de apoio ao professor, que inclui cursos de capacitação a serem intensificados, e a disponibilidade do sítio da Secretaria de Educação para acesso dos interessados.

Estão corretas apenas as afirmativas:

002 Matéria: Pedagogia Órgão: IBC Ano: 2013

Sobre o verbalismo, assinale a alternativa correta.

003 Matéria: Conhecimentos Gerais Órgão: Prefeitura de Maria Helena - PR Ano: 2014

No ano de 1969 foi anexado ao município de Maria Helena o distrito de:

004 Matéria: Pedagogia Órgão: UFSC Ano: 2010

As instituições de Educação Infantil, sob a ótica da garantia de direitos, são responsáveis por criar procedimentos para a avaliação do trabalho pedagógico e das conquistas das crianças. Em acordo com as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil (BRASIL, 2009), analise as afirmativas que completem a frase: As instituições de Educação Infantil devem...

I. criar procedimentos para o acompanhamento do trabalho pedagógico e para a avaliação do desenvolvimento das crianças, sem objetivo de seleção, promoção ou classificação.
II. utilizar múltiplos registros realizados por adultos e crianças (relatórios, fotografias, desenhos, álbuns, etc.).
III. organizar uma documentação específica que permita às famílias conhecer o trabalho da instituição junto às crianças e os processos de desenvolvimento e aprendizagem da criança na educação infantil.
IV. prever formas de articulação entre os docentes da Educação Infantil e do Ensino Fundamental e providenciar instrumentos de registro que permitam aos docentes do Ensino Fundamental conhecer os processos de aprendizagem vivenciados na Educação Infantil.
V. registrar os processos de avaliação realizados pelo(a) professor(a), privilegiando o controle e o acompanhamento dos conhecimentos já dominados pelas crianças, bem como das habilidades já desenvolvidas por cada uma delas.

Assinale a alternativa CORRETA.

005 Matéria: Pedagogia Órgão: Prefeitura de Araraquara - SP Ano: 2013

Sobre os brinquedos e suas normas de utilização, leia o trecho abaixo.

Não se pode classificar o brinquedo como uma atividade prazerosa para a criança, mas sim uma atividade que preenche suas necessidades, pois, segundo Vygotsky, ela é uma forte motivadora da ação. Para que os brinquedos atendam as reais necessidades dos sujeitos envolvidos na ação lúdica, é necessário que alguns fatores estejam presentes. Deste modo, assinale a alternativa que não apresenta esses fatores

006 Matéria: Pedagogia Órgão: Prefeitura de São José de Princesa - PB Ano: 2013

A exposição lógica da matéria continua sendo um dos procedimentos necessários à consolidação do conhecimento pelo aluno. Um dos desafios para o êxito pedagógico e a apropriação dos saberes científicos é:

007 Matéria: Pedagogia Órgão: Prefeitura de Maria Helena - PR Ano: 2014

No ensino da matemática, o professor pode utilizar diversos jogos para as crianças se apropriarem do conceito de número. São jogos matemáticos apropriados a esse ensino, EXCETO:

008 Matéria: Português Órgão: IBC Ano: 2013

Os legisladores e o Verbo Divino
Cláudio de Moura e Castro
1.§ Pensemos na seguinte situação. Três pessoas estão em uma sala, prontas para devorar uma travessa de comida. E eis que chegam mais três. Será preciso deitar água no feijão, para dividi-lo entre os comensais. Todos comem feijão aguado. Os mesmos três estão ouvindo um cantor, quando irrompem mais três na sala. Mas agora é diferente, ninguém ouve ou vê menos pela presença dos outros. Não há do que privar-se, pois ninguém “come” o som e a imagem dos outros. Se continuar a chegar gente, acabarão todos se acotovelando e cochichos atrapalharão o deleite da música. Mas quantos serão, a ponto de reduzir o prazer da cantoria? Obviamente, isso dependerá do tamanho da sala, do formato, da acústica, do volume da voz e se há amplificação, entre outros fatores. Não há um número mágico. 2.§ Esse experimento abstrato pode ser comparado a uma sala de aula. Quando chegam mais alunos, não é como o caso do feijão aguado. Pelo contrário, é semelhante ao do cantor. Mais gente na sala não prejudica o aprendizado. E não é preciso muita imaginação para concluir que aulas maiores custam menos, economizando recursos, vantagem nada trivial. No primeiro ano de Harvard, muitas aulas são em anfiteatros, com todos os 400 alunos iniciantes. O curso de introdução à economia, em Berkeley, tinha 1200. Se essa fórmula fosse tão ruim, Harvard não seria a melhor universidade do mundo e Berkeley, a melhor pública. As salas do ensino médio coreano tinham mais de sessenta alunos. Mesmo assim, a Coreia já possuía um excelente sistema educativo. No Brasil, temos o exemplo dos cursinhos, operando com salas enormes. Para a maioria dos alunos, é o melhor ensino que jamais experimentarão. 3.§ A realidade é ainda mais turva. Pergunte-se ao público se prefere ouvir Caetano Veloso em uma sala com 100 espectadores ou um cantor menor, em uma sala com 35. Pergunte-se aos alunos se preferem um grande professor, em uma sala enorme, ou um medíocre, em uma salinha de 35 lugares. Em ambos os casos, a resposta é a mesma e óbvia. Para os puristas, se há muitos alunos, dilui-se a interação deles com o professor. É um argumento sério, sempre e quando tal interação for praticada. Mas isso é raríssimo, qualquer que seja o tamanho da sala. Tais perplexidades atraíram muitos estudos, na tentativa de determinar o impacto do tamanho da sala de aula sobre o aprendizado. De fato, esse é um dos temas mais pesquisados, com medidas cuidadosas e grupos de controle. São centenas de pesquisas, tantas que não mais se justifica fazer outras. E o que nos dizem? Simplesmente, com a única exceção constituída pelos alunos pobres dos anos iniciais, não há nenhuma associação entre o tamanho da sala e o nível de aprendizado. Infere-se que os casos de interação aluno-professor são raríssimos. Desde que se possa ver e ouvir o mestre, pôr ou tirar alunos não afeta o rendimento. É leviano negar o que diz a avalanche de pesquisas. Entendamos, os resultados descrevem o coletivo das escolas. 4.§ Tais análises não avaliam métodos eficazes que requerem poucos alunos. Isso porque sua superioridade não pode ser medida se quem os adota está perdido em um mundão de escolas tradicionais. A própria definição de tamanho de sala vai se esfarelando. Imaginemos um colégio com professores excelentes dando aulas em salas com sessenta estudantes. Depois, grupos de dez alunos se reúnem com professores mais jovens para discutir os assuntos da aula. Além disso, os alunos fazem duas disciplinas a distância, uma delas com um tutor por 500 alunos e outra, totalmente informatizada (relação aluno/professor = infinito). Quantos professores por aluno há nessa escola? Desde que temos Ideb e Enem, o tema é irrelevante. Se o estudante aprendeu, pouco importa como funciona a sala de aula. Pois não é que o nosso Legislativo, com uma pauta atolada de problemas angustiantes, se mete a legislar sobre o número de alunos na sala de aula? Pela proposta em discussão, no ensino médio, não será possível ultrapassar o número mágico de 35. Deve ser uma cifra que, em sua infinita magnificência, Deus revelou aos legisladores, pois de nenhuma pesquisa saiu. Revista Veja, edição 2.299, p. 28.
Assinale a alternativa cuja expressão em destaque NÃO possui um referente explícito no texto, ou seja, estabelece referenciação implícita.

009 Matéria: Pedagogia Órgão: Prefeitura de Lages - SC Ano: 2013

De acordo com o documento elaborado pelo MEC, que apresenta as orientações para a inclusão das crianças de seis anos no ensino fundamental, é correto afirmar:

010 Matéria: Pedagogia Órgão: Prefeitura de Araraquara - SP Ano: 2013

Ao tratar da competência docente de conceber e fazer evoluir os dispositivos de diferenciação pedagógica, Philippe Perrenoud afirma que

Siga nossas redes sociais