Como fazer um cronograma de estudos? Veja dicas

Neste artigo traremos algumas dicas para você fazer um bom plano de estudos e como um cronograma pode ajudá-lo na preparação.

Por Mateus Nunes de Paula

Com a pandemia do coronavírus (COVID-19), muitas pessoas passaram a ter mais tempo para estudar. Também, muitas pessoas acabaram, infelizmente, perdendo seus empregos e sua renda, passando a demonstrar mais interesse em concursos públicos devido à estabilidade profissional, a segurança financeira, plano de carreira e outros benefícios. Independentemente se você começou a estudar e se preparar para concursos a poucas semanas ou se você já estuda há meses ou anos, precisa ter um cronograma de estudos para organizar a sua preparação. Neste artigo traremos algumas informações e dicas importantes de como elaborar um bom plano de estudos e como o cronograma pode lhe ajudar a alcançar a aprovação.

Alguns concurseiros podem se perguntar: mas afinal, o que é um cronograma exatamente? De forma resumida e objetiva o cronograma é uma tabela ou uma outra representação visual de uma sequência de atividades ou planejamento de matérias a serem estudadas durante determinados períodos - dias ou semanas. De modo geral, o cronograma representa os horários do dia e os dias da semana que serão divididos por tarefas ou disciplinas a serem estudadas. É como uma agenda, mas no cronograma você pode personalizar como serão feitas as tarefas de acordo com as suas necessidades.

Como criar um cronograma de estudos

Criar um cronograma é importante para você não perder tempo procurando e separando, diariamente, o que estudar. Investindo algumas horas criando um cronograma de estudos, você evita perder mais tempo futuro e diário, separando o que estudar, a quantidade de horas a estudar, o material e conteúdo a serem estudados. Portanto, investir algumas horas preparando um cronograma de estudos pode compensar futuramente a sua preparação e encurtar seu caminho ate a aprovação.

Como dividir as matérias

O principal ponto de destaque ao realizar um plano de estudos é, sem dúvida, a divisão de matérias que você irá estudar durante a semana. Você deve abranger todas as disciplinas e tópicos do seu edital, dividindo conforme escalas que devem ser observadas: peso de cada matéria para sua prova, seu nível de conhecimento de cada matéria; necessidade de estudos ou revisão de tópicos, etc...

Por isso, não há uma fórmula padrão com uma divisão igualitária entre as matérias. A divisão de matérias em um plano de estudos é uma questão muito pessoal e deve ser feita individualmente, por cada concurseiro, observando as facilidades e dificuldades com cada tópico, o contato com cada matéria, o peso de cada matéria, entre outros diversos pontos, que devem ser considerados.

Apesar de ser uma questão extremamente pessoal, na maioria das vezes, há relatos de concurseiros que afirmam que estudar uma matéria por dia acaba trazendo mais desenvolvimento no estudo em comparação com estudar várias matérias num único dia. Por exemplo: invés de estudar 5 disciplinas diferentes por dia, durante 2 horas diárias, estudar 1 matéria diferente por dia durante essas duas horas. Ou seja, o estudante estuda uma matéria por dia num período de 5 dias. Após, reinicia o ciclo de estudos.

Isso acaba sendo interessante, pois muitas vezes um tópico pode durar mais ou menos que o outro, e estudando um tópico por dia, é mais fácil de concluir o conteúdo e não deixar algum subtópico de um livro/apostila/vídeoaula faltando. Estudando uma disciplina por dia traz o benefício de estudar de forma mais livre e aprofundada na matéria, mas o lado ruim é que você só a verá novamente daqui a alguns dias (caso não tenha feito um plano de revisão no outro dia).

Já o lado bom de ver mais de uma disciplina por dia, é que a probabilidade de você rever o conteúdo com mais frequência aumenta, fazendo com que não se esqueça da matéria tão facilmente.

Quantas horas por dia estudar

A quantidade de horas por dia a serem estudadas também é um ponto muito pessoal. Depende muito da disponibilidade de horário de cada concurseiro e ainda da capacidade de estudo de cada um. Existem concurseiros que conseguem estudar apenas 1 hora por dia, enquanto há outros concurseiros que possuem disponibilidade para estudar mais de 8 horas por dia. Já escrevemos inclusive um artigo onde apresentamos algumas dicas para quem só consegue estudar nos finais de semana. Inclusive podemos reforçar o que foi escrito naquele artigo: a aprovação em um concurso público é uma espécie de fila, quando você começa a estudar você entra para o final da fila, e na medida em que vai estudando chegará mais cedo ou mais tarde no início dessa fila. Por isso independentemente das horas que você estuda por dia, o que importa é a qualidade e a frequência dos estudos.

Um ponto que vale a pena reforçar é que o cronograma de estudos deve ser condizente com a sua capacidade real de estudos. Não se trata apenas do tempo que você tem disponível para estudar, mas sim da sua real capacidade física e mental para estudar. De nada adianta você criar um cronograma com 6 horas diárias de estudo se você consegue efetivamente estudar só 3 horas. Ao planejar estudar mais tempo do que você realmente consegue, ao chegar no fim do dia você estará frustrado porque não conseguiu estudar a quantidade planejada.

Bom, caso precise muito estudar mais tempo, mas não quer se autosabotar, um bom conselho é aumentar gradativamente o tempo de estudos. Defina inicialmente, caso não tenha muita prática e concentração de início, estudar 1h por dia. No outro dia, estude 1h30min. No dia posterior, estude 2 horas... Ou seja, não tente começar de uma vez a estudar 10 horas em um dia, a probabilidade de acabar não estudando no outro será bem grande! Seja realista quando estabelecer e reservar o seu tempo de estudos.

Cronograma específico e cronograma geral

Por fim, outro ponto bem importante é criar um cronograma que seja geral e partir posteriormente para um mais específico na reta final. Nesse caso, crie um cronograma com:

  • o estudo de matérias gerais que caíram no último concurso (conforme a carreira/cargo escolhido) antes da abertura do edital de seu concurso público e crie um cronograma a partir daí.
  • Quando o edital for divulgado, compare com o seu e veja se precisa incluir ou excluir tópicos ou disciplinas do seu plano de estudos.
  • Se for preciso incluir uma disciplina ou meia dúzia de tópicos que não sejam muito extensos, você estará no lucro. Se for necessário deixar um tópico ou disciplina de lado nesse momento, tudo bem, pelo menos num próximo concurso pode ser que ele caia e você poderá reaproveitá-lo.

Independentemente se seu concurso já foi aberto ou não, algumas matérias como português devem ser estudadas de qualquer maneira, uma vez que é uma disciplina exigida em praticamente 95% dos concursos públicos atualmente.

Como dito anteriormente, as matérias devem ser adicionadas ao seu cronograma conforme a área escolhida, por exemplo: se você estuda para a área fiscal, a probabilidade do edital conter as disciplinas de direito tributário, direito administrativo , constitucional, contabilidade é muito alta.

Mapeie com cuidado e selecione as disciplinas que poderão estar presentes no seu edital. Boa sorte e bons estudos!

Concursos próximos indicados para você
ConcursoInscrições atéN° VagasSalários até
Concurso Exército 2020: Inscrição aberta na EsPCEx para CadetesNível: Médio03/06/2020440
Rede EBSERH abre seleção nacional com vagas para o combate do CoronavírusNível: Técnico, Superior04/06/2020Cadastro ReservaR$ 8.984,81
Concurso DEPEN 2020: Edital com 309 vagas é retificadoNível: Médio, Superior05/06/2020309R$ 6.030,23
Concurso DEPEN 2020: Sai edital para nível médio e superiorNível: Médio, Superior05/06/2020309R$ 6.030,23
Comentários
Carregar comentários
Siga nossas redes sociais