Moro pede demissão e novo concurso público da PF será reavaliado

Exoneração de Maurício Leite Valeixo, então Diretor Geral da PF e pedido de demissão de Sérgio Moro devem atrasar o novo concurso da Polícia Federal.

Por Mateus Nunes de Paula
Abertura inscrições Em breve Total de vagas 3.460
Encerra inscrições Em breve Salários até R$ 23.692,74

Após o Diretor Geral da Polícia Federal, Maurício Leite Valeixo, delegado de Polícia Federal e servidor público concursado com mais de 20 anos de carreira ser demitido pelo presidente Jair Bolsonaro, foi a vez de Sérgio Moro, então Ministro da Justiça pedir sua demissão. A saída de Moro gera uma grave crise política no governo. Valeixo era homem de confiança de Sérgio Moro e ex-Superintendente da Polícia Federal durante a Operação Lava Jato, entre os anos de 2009 e 2011 e em 2017.

O ato de exoneração, publicado no Diário Oficial da União de hoje, curiosamente é assinado em conjunto pelo Presidente da República Jair Messias Bolsonaro e pelo Ministro da Segurança, Sérgio Moro. No entanto, em entrevista coletiva, Moro garantiu que não assinou a demissão do colega. Veja a publicação:

Publicação no Dirio Oficial de exoneração do Diretor-Geral da PF
Publicação no Diário Oficial de exoneração do Diretor-Geral da PF

Agora, com a exoneração do Diretor Geral da PF fica a dúvida aos concurseiros e aos interessados em realizar o próximo concurso do órgão policial: e o novo concurso previsto da Polícia Federal, como fica?

O pedido de novo concurso público foi enviado pela Polícia Federal (PF) ao Ministério da Economia e, ao que tudo indica, teria uma sinalização extraoficial positiva da pasta, uma vez que teria inclusive vazado na internet um suposto cronograma do novo concurso. Em tese, independentemente da pessoa que comanda a Polícia Federal, o processo administrativo que versa sobre um novo concurso já teria sido iniciado e, sendo autorizado, o novo concurso poderia ser naturalmente aberto.

No entanto, a saída de Sérgio Moro do Ministério provocará uma mudança sem precedentes no governo e o novo concurso pode sim, e acreditamos que deverá, ser adiado. O novo Diretor Geral da Polícia Federal, de acordo com o Regimento Interno da Polícia Federal, possui a competência para comandar e supervisionar todos os processos e procedimentos realizados na Instituição. Inclusive, é o próprio Diretor Geral da Polícia Federal que possui competência para firmar contratos, convênios e outros atos negociais congêneres com entidades de direito público e privado.

Assim, caso não seja de interesse do novo Diretor Geral da Polícia Federal a abertura de novo concurso, ele simplesmente congelará os trãmites e a seleção não sairá do papel, pelo menos por enquanto. É difícil prever alguma resposta exata na atual situação em que o governo se encontra.

Assim, cabe aos concurseiros interessados aguardar a nomeação do novo Diretor Geral da Polícia Federal e acompanhar quais serão suas intenções para o órgão. Vale mencionar que o Maurício Leite Valeixo sempre foi favorável a novos concursos, assim como Moro, que por diversas vezes defendeu junto ao governo a renovação do quadro de pessoal da Instituição.

Concurso previsto

O pedido no novo concurso da Polícia Federal (PF) enviado ao Ministério da Economia tem 3.460 oportunidades em cargos de Agente, Escrivão, Delegado, Papiloscopista e Perito Criminal. Todos exigem ensino superior.

Para os cargos de agente; escrivão e papiloscopista, a remuneração inicial para os cargos é de R$ 12.441,26. Já para o cargo de delegado, a remuneração inicial é de R$ 23.130,48. Confira o quadro de salários na PF

Concursos próximos indicados para você
ConcursoInscrições atéN° VagasSalários até
Comentários
Carregar comentários
Siga nossas redes sociais