Como estudar para provas da banca Cespe

Uma das principais organizadoras, hoje, é, sem dúvidas, o Cespe/Cebraspe. No comando de grandes concursos como: Polícia Federal, Ministério Público da União, INSS, Defensoria Pública, Tribunal de Justiça do Distrito Federal, INPI, ANATEL e vários outros, estudantes cada vez mais tentam desvendar os segredos de uma das bancas mais temidas atualmente.

0
12 share
2 tweets
2 share

Como você pode notar, o Cespe, hoje conhecido como Cebraspe, é especializado na organização de concursos nacionais e por consequência, milhares de vagas no Brasil passam por eles. Então, mesmo que você não esteja se preparando para algum concurso atual da organizadora, é provável, que na sua vida de concurseiro, ainda vá topar com a banca. Portanto, preste atenção nas dicas abaixo e mãos à obra.

Questões "Certo ou Errado": Essa, sem dúvidas, é a maior característica do Cespe, a única banca grande que comumente aplica provas com questões do tipo "Certo e Errado", mas em alguns poucos casos ainda utiliza o formato de "múltipla escolha". Essas questões deixam menos margem para chute técnico e não existe a possibilidade de uma questão estar "meio certa" ou "meio errada". E como não há critérios comparativos, muitos candidatos acabam ficando indecisos e nervosos.

Uma dica para aprender a lidar com isso: uma questão "meio certa" ou "meio errada" é uma questão ERRADA, afinal, para estar certo, algo tem que estar 100% correto, concorda? Do contrário a questão está ERRADA. Por isso, preste atenção nos enunciados e leia várias vezes antes de responder.

E mais: O cartão de respostas do Cespe tem como opções: "C" e "E". Se você assinalar uma das opções e depois perceber que deveria ter marcado a outra, preencha as duas. Isso significa que você não pontuará e nem perderá pontos, pois a questão estará sendo anulada.

Há que se dizer que em poucas vezes o Cespe aplica questões de múltipla escolha, portanto não deixe de conferir seu edital para se preparar corretamente. E outra: em alguns concursos o Cespe aplica o formato 2x1, onde 2 erros anulam 1 acerto. Já nesse tipo de prova o candidato pode ter mais ousadia.

Fator de correção: Essa é outra característica típica do Cespe. Muitas das provas do CESPE (mas nem todas! Preste atenção no edital, sempre!) costumam ter fator de correção. É o famoso "Uma errada anula uma certa". O grande perigo para o candidato, mas que é bom para a organizadora, é evitar que o concurseiro "chute" as respostas, afinal 1 chute errado anula 1 questão respondida corretamente. Uma dica importante aqui: Dê mais ênfase nos seus estudos para as matérias em que você tem um maior índice de erros, e na hora da prova lembre-se de NÃO MARCAR AO ACASO nessas matérias.

Ficou em dúvida de como funciona esse sistema? Exemplo: Você acertou 80 questões, porém errou as outras 40. Seu total será de 40 pontos (80 - 40 = 40). Portanto, muito cuidado ao responder uma que você não tem tanta certeza assim. Outra informação errônea que circula nas redes sociais é que os pontos devidos em um concurso que você tenha mais erros do que acertos, seguem valendo para os próximos, o que é uma grande mentira.

Provas Discursivas: Nestas, o Cespe costuma cobrar conhecimentos específicos dos seus candidatos ou tema da atualidade, linkados, ou não, com a área que se presta o concurso.  Para ver dicas de como montar uma boa redação, clique aqui, e não esqueça da dica básica: LEIA e ESCREVA. Só se aprende a escrever bons textos, lendo e praticando.

Conhecimento Específico: Estas costumam ter peso maior nas provas aplicadas pela banca. Na maioria dos editais o peso das específicas costumam valer o dobro dos pontos, quando não, o triplo. Exemplo: 1 acerto em português vale 1 ponto, agora, 1 acerto em direito penal, em uma prova de promotor, poderá valer 2 ou até mesmo 3 pontos. E mesmo que o peso não seja maior, não descuide das específicas, pois elas são sempre o primeiro critério de desempate entre candidatos com a mesma nota.

Além disso, o número de questões sobre conhecimentos específicos é sempre maior do que o número de questões sobre conhecimentos gerais. Por isso, é vantagem para o candidato se dedicar um pouco mais aos estudos das específicas do que das gerais, caso haja pouco tempo para a preparação.

Doutrinadores: Não esqueça de dar atenção aos autores consagrados de cada área. A FCC irá cobrar a literalidade dos conceitos deste autor. E caso você apresente recurso dizendo que outro autor garante outra resposta como correta, nada feito, aquele que eles escolheram é o que vale. Portanto, a velha dica: Confira provas anteriores e veja quais são os juristas utilizados nos últimos concursos, a tendência é que se mantenham os mesmos nomes. Não seja pego de surpresa e desperdice pontos valiosos.

Questões conceituais: Odiado por muitos concurseiros, o CESPE tem o costume de cobrar literalmente o texto da lei ou o conceito específico de algum doutrinador específico. O problema é saber qual doutrinador ele está se baseando, e daí, dá-lhe recurso.

Pegadinhas: O CESPE gosta de eliminar candidatos desatentos. É muito comum ver questões praticamente corretas, com apenas uma palavra que altera todo o sentido. Um "não" ou "Sempre" ou "exclusivamente", etc. E para elas vale a regra geral dos concursos. Palavras que denotam exclusividade quase sempre tornam as questões erradas, mas claro, há as exceções, portanto, ATENÇÃO.

Dica master: Após preencher a folha de respostas (por exemplo: 100 itens respondidos e 20 em branco), conte a quantidade de itens que você marcou "C" e os que assinalou "E". Por exemplo: 60 "E" e 40 "C". Se a prova tem 120 itens, a tendência é que no gabarito da banca haja 60 "E" e 60 "C". Sendo assim, você vai assinalar "C" em todas as alternativas em branco. A probabilidade é de que você acerte a maioria dessas 20. Se você acertar 13 e errar 7, já terá valido a pena, pois ganhará 6 pontos. Essa dica vale, inclusive, para a parte de Conhecimentos Básicos e Conhecimentos Específicos. Se forem 50 itens de Conhecimentos Básicos e 70 de Conhecimentos Específicos, o gabarito será meio a meio, ou seja 25 itens "C" e 25 "E" na primeira parte e 35 "C" e 35 "E" na segunda.

Resolva exercícios: E por fim: Faça MUITOS, mas MUITOS exercícios de provas anteriores, só assim você irá pegar o jeito e a "malícia da banca". Além disso, a melhor forma de aprender e fixar o que foi estudado é resolvendo questões anteriores, e não sou eu quem está dizendo, não, isso já foi provado em estudos científicos.

E não esqueça de também escrever textos repetidamente, afinal, mesmo que você gabarite a prova objetiva, se não fizer o mínimo necessário na discursiva, será ELIMINADO.

E você? Tem mais alguma dica sobre o CESPE que não foi falada aqui? Deixe um comentário pra gente!

Avalie esta notícia

Nota:

(4.3/5.0)
Busca avançada de concursos
Concursos Previstos Últimas Notícias
carregando...
JUNTE-SE À DISCUSSÃO
Faça um comentário sobre este assunto
Enviar
  • Krishna Campos Krishna Campos Nível 1 Perg. 0 Resp. 1
    Há 4 meses
    Ja tem previsão, para a liberação do edital e inscrições?
    0 Responder