O Presidente Jair Bolsonaro havia adiantado pelas redes sociais um novo corte no preço do combustível vendido nas refinarias para as distribuidoras. A partir de sexta, 29 de julho, o valor do litro vendido pela Petrobras caiu de R$ 3,86 para R$ 3,71, trazendo uma nova baixa no preço final ao consumidor.

A ANP divulgou neste sábado de 30 de julho a nova tabela de preços dos combustíveis no país, mas como o corte ocorreu na sexta (29), a tabela ainda não reflete essa nova redução. O último aumento de preços feito pela Petrobras havia sido em maio, no dia 17, com alta de 5,18% na gasolina e de 14,26% no Diesel. De lá pra cá a gasolina já caiu mais de 20%, mas o Diesel segue perto da máxima, na casa de R$ 7,50.

Os últimos dados divulgados refletem a queda do valor do ICMS nos estados. Tanto o preço da gasolina quanto do Diesel bateram o seu maior valor já registrado no primeiro semestre de 2022, segundo a Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis - ANP. Agora, a gasolina teve redução, enquanto o preço do Diesel segue em alta.

O governo tem um sistema de Levantamento de Preços (SLP) tanto semanal quanto mensal com abrangência geográfica por região e estado, gerido pela ANP. Nele, são divulgados os preços médios dos combustíveis em todo o país desde 2004.

São 4.763 postos pesquisados para definir o preço médio da gasolina comum e outros 3.909 para o óleo diesel.

A lista inclui gasolina comum, gasolina aditivada, etanol hidratado, óleo diesel, gás natural veicular (GNV), gás liquefeito de petróleo/ gás de cozinha (GLP de 13Kg) e o óleo diesel S-10. A última atualização foi feita no dia 30 de julho, sábado.

Preço da gasolina hoje

Agora, o preço médio de um litro da gasolina comum no país é de R$ 5,74 abaixo dos R$ 5,89 registrados no dia 23/7, dos R$ 6,07 do dia 16/7 e dos R$ 7,12 apontados no início de julho (2/7), mostrando a forte tendência de queda. Em alguns estados o litro ainda chega a custar R$ 7,49, como acontece na cidade de Barueri, São Paulo, maior preço registrado pela ANP na semana.

Veja o preço médio da gasolina em cada estado apontado no dia 30 de julho. Nos estados que cobravam um percentual maior de ICMS, como Rio de Janeiro, por exemplo, a diferença já passa de R$ 2,00 de queda nos últimos 30 dias.

Norte (R$)

  • Pará - R$ 5,82
  • Rondônia - R$ 5,73
  • Tocantins - R$ 6,01
  • Roraima - R$ 5,95
  • Acre - R$ 6,10
  • Amazonas - R$ 5,86
  • Amapá - R$ 5,22

Nordeste

  • Sergipe - R$ 5,57
  • Paraíba - R$ 5,72
  • Bahia - R$ 6,04
  • Maranhão - R$ 5,76
  • Alagoas - R$ 5,87
  • Ceará - R$ 6,01
  • Piauí - R$ 5,94
  • Rio Grande do Norte - R$ 6,21
  • Pernambuco - R$ 5,89

Centro-Oeste

  • Mato Grosso - R$ 5,79
  • Mato Grosso do Sul - R$ 5,37
  • Goiás - R$ 5,60
  • Distrito Federal - R$ 5,91

Sudeste

  • São Paulo - R$ 5,65
  • Rio de Janeiro - R$ 5,84
  • Minas Gerais - R$ 5,61
  • Espírito Santo - R$ 5,83

Sul

A lista completa do preço médio por cidade e estado pode ser conferida no site da ANP.

Preço do Diesel

O vilão da vez é o óleo Diesel, que bateu recordes na última semana. A Petrobras reajustou o preço do combustível no dia 18/06 em 14%. Agora, um litro do óleo diesel S-10 custa, em média, R$ 7,51, ante R$ 7,58 registrado na semana anterior. Já o Diesel Comum fechou em R$ 7,42 na semana. A alta do Diesel preocupa mais, pois gera mais inflação nos produtos, que dependem do transporte rodoviário de caminhões para chegar ao consumidor final.

Como o ICMS dos estados não chega a 18% no óleo Diesel, o corte do imposto não impactou no preço do combustível.

O álcool registrou preço médio de R$ 4,21. Já o gás de cozinha segue estável com valor médio de R$ 111,75 dia 30 de julho.

Outro destaque negativo foi o m3 do GNV - Gás Natural Veicular, que passou de R$ 4,77 nos primeiros dias de maio para R$ 5,07 no dia 30/07.

Preço médio dos combustíveis no dia 30/07 - Fonte: ANP
Preço médio dos combustíveis no dia 30/07 - Fonte: ANP

Veja tabela de 23/07:

Preço dos Combustíveis no dia 23 de julho - ANP
Preço dos Combustíveis no dia 23 de julho - ANP

Para comparação, confira a tabela do dia 16/07:

Preço dos Combustíveis no dia 16 de julho - Fonte: ANP
Preço dos Combustíveis no dia 16 de julho - Fonte: ANP

Veja o preço da semana anterior, 9/7:

Preço médio da Gasolina e do Diesel no dia 9 de julho no Brasil - Fonte: ANP
Preço médio da Gasolina e do Diesel no dia 9 de julho no Brasil - Fonte: ANP

Tabela de preços da semana de 02/07:

Preço médio dos Combustíveis em 2 de Julho - Fonte: ANP
Preço médio dos Combustíveis em 2 de Julho - Fonte: ANP

Abaixo, a tabela medida em 25/06:

Preço dos combustíveis em 25 de junho - Fonte: ANP
Preço dos combustíveis em 25 de junho - Fonte: ANP

Veja dados ainda do dia 11/06:

Preço Combustíveis em 11 de junho no Brasil - Fonte: ANP
Preço Combustíveis em 11 de junho no Brasil - Fonte: ANP

Confira também a tabela de preços da semana de 28 de maio:

Preço dos Combustíveis em 28/05 - ANP
Preço dos Combustíveis em 28/05 - ANP

Para comparação, confira os valores médios da ANP, medidos lá em janeiro de 2022 (07/01):

  • Gasolina comum (litro) - R$ 6,59
  • Gasolina aditivada (litro) - R$ 6,73
  • Gás glp 13kg - R$ 102,55
  • Etanol hidratado (litro) - R$ 5,05
  • GNV m³ - R$ 4,38
  • Óleo diesel comum (litro) - R$ 5,34
  • Óleo diesel S-10 (litro) - R$ 5,42

Preço da gasolina em 2021

Ainda para efeito de comparação, confira os valores médios registrados dos combustíveis no final do ano passado, em 04/12:

  • Gasolina comum (litro) - R$ 6,74
  • Gasolina aditivada (litro) - R$ 6,90
  • Gás glp 13kg - R$ 102,40
  • Etanol hidratado (litro) - R$ 5,30
  • GNV m³ - R$ 4,30
  • Óleo diesel comum (litro) - R$ 5,35
  • Óleo diesel S-10 (litro) - R$ 5,44

O preço da gasolina vinha apresentando altas frequentes desde o início do ano, com correções recentes da Petrobras. A estatal anunciou lucro de R$ 44,5 bilhões no primeiro trimestre do ano, colocando ainda mais pressão no governo.

Preço do barril de petróleo e ICMS

No ano passado (2021), a ANP anunciou que a gasolina acumulou alta de cerca de 49,6%, enquanto o diesel aumentou 48,05% no período. Os maiores vilões dos preços foram o preço do barril do petróleo internacional, a cotação do dólar e o ICMS dos estados.

Como medida, o Governo Federal limitou o ICMS dos estados em 18% nos combustíveis. Alguns estados estavam cobrando uma alíquota de 30%.

Assim, o Presidente Jair Bolsonaro, sancionou o projeto de lei que classifica os combustíveis, energia elétrica, comunicações e transporte coletivo como itens essenciais e assim limita a cobrança do ICMS nestes itens.

A Lei Complementar nº 194, 23 de junho de 2022, limita a cobrança do ICMS sobre produtos e serviços essenciais à alíquota mínima de cada estado, que varia entre 17% e 18%. O ICMS é um tributo de arrecadação dos estados e do Distrito Federal que incide sobre diferentes produtos e se aplica tanto a comercialização dentro do país como em bens importados.

O preço do barril de petróleo teve queda em julho e está sendo negociado na casa dos U$$ 100 no dia 23 de julho, ante U$$ 111 registrados no dia 2 de julho nos mercados internacionais.

O GLP de 13 Kg, gás de cozinha, também vem tendo pressão no preço desde 2021. Atualmente, o botijão de 13 kg custa em média R$ 111 no país. O menor preço foi encontrado no Rio de Janeiro (R$ 85,00) e o maior nos estados de Santa Catarina e Mato Grosso, com o botijão custando já R$ 160,00.

A tendência para 2022 é que o gás de cozinha continue subindo pela alta demanda do propano, matéria-prima do gás. A ANP já cogita um preço médio de R$ 112. Em nota, o governo disse "Os valores de referência foram estabelecidos pelo Sistema de Levantamento de Preços (SLP) da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). De acordo com o levantamento, o valor médio do botijão em 2021 foi de R$ 102,48 e a estimativa para 2022 é de R$ 112,48".

No início do ano, o presidente Jair Bolsonaro sancionou um programa de ajuda, o Auxílio Gás, que começou em janeiro e pagará pelos próximos 5 anos um vale de 50% do preço médio do botijão de 13Kg aos mais carentes - serão 5,5 milhões de pessoas alcançadas em 2022.

Agora, com a PEC dos Combustíveis, o valor do vale-gás vai dobrar até o fim do ano e será de R$ 110.

Para ter direito, o beneficiário precisa estar no Cadastro Único do Governo Federal e ter alguém que receba o BPC na família. O pagamento será feito sempre a cada dois meses.