Banco do Brasil abre concurso: veja dicas de estudo para a prova de Escriturário

O novo concurso do Banco do Brasil (BB) abre 30 vagas, mais composição de cadastro reserva para a função de Escriturário. Veja o conteúdo programático das provas e dicas de estudo para ir bem na seleção, que deve ser uma das mais concorridas do ano.

Por: Tamiris Soares
0
0 share
0 tweets
0 share

A divulgação do edital do novo concurso público para Escriturários do Banco do Brasil (concurso BB 2018), realizada na manhã da última quarta-feira, 7 de março, pegou os concurseiros de surpresa. As seleções do banco costumam ser muito concorridas, e, por isso, o Ache Concursos traz aqui algumas dicas de preparação para quem vai disputar as vagas este ano. Foram abertas 30 vagas imediatas, mais composição de cadastro reserva, na função inicial da carreira administrativa do banco. As lotações vão acontecer exclusivamente nas cidades de Brasília-DF, Rio de Janeiro-RJ e São Paulo-SP. Os escriturários atuam na comercialização de produtos e serviços do banco, atendimento ao público, atuação no caixa, contatos com clientes, prestação de informações aos clientes e usuários; redação de correspondências; conferência de relatórios e documentos; controles estatísticos; atualização/manutenção de dados em sistemas operacionais informatizados; e execução de outras tarefas inerentes ao conteúdo ocupacional do cargo.

Concurso Banco do Brasil veja analise do edital e dicas para a provaCom salário inicial de R$ 2.718,73 e jornada semanal de trabalho de 30 horas, o cargo de Escriturário exige ensino médio completo. O banco oferece ainda benefícios de participação nos lucros e resultados, vale-transporte, auxílio-creche; auxílio-alimentação/refeição de R$ 1.314,00; auxílio a filho com deficiência e previdência privada, além da possibilidade de ascenção profissional. Veja o edital do concurso.

As inscrições iniciaram em 8 de março e vão até 27/03, por meio do site da Fundação Cesgranrio: www.cesgranrio.org.br. A taxa de participação está fixada em R$ 48,00, com isenção prevista para candidatos inscritos no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (Cadúnico) e membros de família de baixa renda.

Provas

O concurso terá etapas de prova objetiva e prova discursiva-redação. A aplicação das provas acontece em 13 de maio nas cidades de Belém-PA, Belo Horizonte-MG, Brasília-DF, Campinas-SP, Curitiba-PR, Fortaleza-CE, Porto Alegre-RS, Recife-PE, Rio de Janeiro-RJ e São Paulo-SP.

A prova objetiva terá 70 questões divididas entre duas áreas: a primeira com 20 questões de conhecimentos básicos e a segunda com 50 questões de conhecimentos específicos, valendo 100 pontos no total. Para obtenção da aprovação, será requerido o mínimo de 60% de acertos totais, além de 55% de acertos na prova de conhecimentos básicos e 60% de acertos na prova de conhecimentos específicos.

A redação também valerá 100 pontos e deverá ter entre 25 e 30 linhas, avaliando a adequação ao tema proposto; a adequação ao tipo de texto solicitado; o emprego apropriado de mecanismos de coesão como referenciação, sequenciação e demarcação das partes do texto; a capacidade de selecionar, organizar e relacionar de forma coerente argumentos pertinentes ao tema proposto; e o pleno domínio da modalidade escrita da norma-padrão como adequação vocabular, ortografia, morfologia, sintaxe de concordância, de regência e de colocação. A nota mínima para aprovação será de 70 pontos.

Conhecimentos Básicos

Língua Portuguesa: serão 5 questões valendo um ponto cada, abordando emprego do acento indicativo de crase; concordância verbal e nominal; regência verbal e nominal; colocação dos pronomes oblíquos átonos (próclise, mesóclise e ênclise); e emprego dos sinais indicativos de pontuação: vírgula, ponto, ponto e vírgula, dois-pontos, reticências, aspas, travessão e parênteses.

Mais do que estudar normas de ortografia, a disciplina de Língua Portuguesa exige leitura. Praticando a leitura, você aprende a compreender o que cada questão pede sem precisar decorar tantas normas, apenas interpretando. É importante que se leia e conheça material em diversos estilos como exercício, incluindo romances, notícias, poesia, dissertações e até charges e tirinhas cômicas. O conteúdo programático é bem similar ao da prova realizada pelo BB em 2015, em concurso que também foi realizado pela Cesgranrio, sendo a consulta das questões uma boa opção de estudo. Veja o edital do concurso do BB realizado em 2015.

Língua Inglesa: mais 5 questões valendo um ponto cada, avaliando o conhecimento de um vocabulário fundamental e dos aspectos gramaticais básicos para a interpretação de textos técnicos.

É importante saber que o inglês cobrado em concursos é diferente do inglês usado na comunicação, será exigida a capacidade de compreensão de texto e um bom vocabulário, desconsiderando o conhecimento do speaking (falar e pronunciar) e do listening (ouvir). A regra é utilizar termos mais técnicos e formais, o que pode dificultar até para quem é fluente na comunicação. Uma boa dica é buscar as questões que a banca já utilizou em outros concursos nessa área. O conteúdo previsto é o mesmo do último concurso do BB.

Matemática: outras 5 questões, agora valendo dois pontos cada, vão abordar lógica proposicional; noções de conjuntos; relações e funções; funções polinomiais; funções exponenciais e logarítmicas; matrizes; determinantes; sistemas lineares; sequências; progressões aritméticas; progressões geométricas; e matemática financeira. A matemática demanda que o candidato tenha uma boa base, deve-se compreender a matemática do ensino fundamental. O candidato pode precisar revisar conteúdos bem básicos antes de adentrar os mais complexos.

Depois de dominados os conteúdos básicos, uma boa dica é fazer exercícios com questões resolvidas e comentadas, compreender o processo para chegar àquele resultado. Talvez você não lembre da fórmula específica para a solução de determinada questão, mas, caso compreenda o que ela propõe, pode calcular de outra forma e chegar lá. A discilplina difere um pouco da última prova, que teve questões de Raciocínio Lógico-Matemático e incluiu estística e probabilidade.

Atualidades do mercado financeiro: outras 5 questões, valendo um ponto cada, considerarão os conhecimentos em sistema financeiro nacional; dinâmica do mercado; e mercado bancário.

Essas questões exigem que o candidato acompanhe o noticiário de economia nacional e internacional, afinal a economia global sempre irá interferir na economia brasileira. Mas essa não é uma prova apenas de conhecimentos gerais, o candidato deve ter um bom material de apoio e um conhecimento amplo sobre teorias econômicas. O conteúdo previsto é o mesmo do último concurso do BB.

Prepare-se: Apostila de estudo específica para Escriturário do BB

Conhecimentos Específicos

Probabilidade e Estatística: serão 20 questões valendo 1,5 ponto cada, abordando conhecimentos de análise combinatória; noções de probabilidade; teorema de Bayes; probabilidade condicional; noções de estatística; população e amostra; análise e interpretação de tabelas e gráficos; regressão, tendências, extrapolações e interpolações; tabelas de distribuição empírica de variáveis e histogramas; e estatística descritiva (média, mediana, variância, desvio padrão, percentis, quartis, outliers, covariância).

Essa área exige preparação, não devendo ser deixada para última hora, além de um bom material de apoio. O candidato pode procurar uma apostila específica para o concurso do Banco do Brasil e deve realizar muitos exercícios. Essa discilplina não estava no último concurso do BB, havendo apenas algumas questões realcionadas à área abordadas dentro da parte de Raciocínio Lógico-Matemático.

Conhecimentos Bancários: essa área terá 5 questões valendo 1,5 ponto cada, abordando estrutura do sistema financeiro nacional: conselho monetário nacional; Comitê de Política Monetária (Copom); Banco Central do Brasil (Bacen); comissão de valores mobiliários; produtos bancários: noções de cartões de crédito e débito, crédito direto ao consumidor, crédito rural, caderneta de poupança, capitalização, previdência, investimentos e seguros; noções de mercado de capitais; noções de mercado de câmbio: instituições autorizadas a operar e operações básicas; garantias do sistema financeiro nacional: aval; fiança; penhor mercantil; alienação fiduciária; hipoteca; fianças bancárias; crime de lavagem de dinheiro: conceito e etapas; prevenção e combate ao crime de lavagem de dinheiro: Lei nº 9.613/98 e suas alterações, circular Bacen 3.461/2009 e suas alterações e carta-circular Bacen 3.542/12; e autorregulação bancária.

Essa área também exige um bom material de apoio e resolução de exercícios. Responder a questões de provas anteriores é uma forma rápida de assimilar os conhecimentos necessários. O conteúdo é muito similar ao da última prova do Banco do Brasil.

Conhecimentos de Informática: serão 25 questões valendo 1,5 ponto cada, sendo a disciplina com maior peso em toda a prova (vale 37,5 pontos dos 100 possíveis). Serão exigidos conhecimentos de linguagens de programação: Java (SE 8 e EE 7), Phyton 3.6, JavaScript/EcmaScript 6, Scala 2.12 e Pig 0.16; estruturas de dados e algoritmos: busca sequencial e busca binária sobre arrays, ordenação (métodos da bolha, ordenação por seleção, ordenação por inserção, lista encadeada, pilha, fila, noções sobre árvore binária), noções de algoritmos de aprendizado supervisionados e não supervisionados; banco de dados: conceitos de banco de dados e sistemas gerenciadores de bancos de dados (SGBD), modelagem conceitual de dados (a abordagem entidaderelacionamento), modelo relacional de dados (conceitos básicos, normalização), banco de dados SQL (linguagem SQL (SQL2008), linguagem HiveQL (Hive 2.2.0)), banco de dados NoSQL (conceitos básicos, bancos orientados a grafos, colunas, chave/valor e documentos), data Warehouse (modelagem conceitual para data warehouses, dados multidimensionais); tecnologias web: HTML 5, CSS 3, XML 1.1, Json (ECMA-404), Angular.js 1.6.x, Node.js 6.11.3, REST; manipulação e visualização de dados: linguagem R 3.4.2 e R Studio 5.1, OLAP, MS Excel 2013; sistema de arquivos e ingestão de dados: conceitos de MapReduce, HDFS/Hadoop/YARN 2.7.4, e ferramentas de ingestão de dados (Sqoop 1.4.6, Flume 1.7.0, NiFi 1.3.0 e Kafka 0.11.0).

A disciplina de Informática frustrou um pouco os candidatos que já vinham se preparando. Isso porque os conhecimentos exigidos na área demandam uma boa noção sobre linguagens de programação. Para se preparar nesta há sites com cursos pagos e também gratuitos, como o Oficina da NetCode Academy e o SoftBlue, que podem ajudar a entender um pouco do que a banca vai exigir na prova. Como nas outras disciplinas específicas, também é uma boa ideia buscar apostilas desenvolvidas especificamente para esse certame. O conteúdo previsto é bem técnico e muito diferente do aplicado na última prova, que era mais focado nos conhecimentos básicos do dia a dia da informática.

Redação

Para escrever uma boa redação, a dica é óbvia: muita leitura. O candidato deve ter poder argumentativo e utilizar boa gramática. Normalmente se pede que o candidato defenda um ponto ou apresente uma solução a um problema. Atenha-se ao tema proposto e organize suas ideias em parágrafos. A redação deve ter introdução, desenvolvimento e conclusão claros, mas jamais desconectados um do outro.

Muita atenção à pontuação. Uma redação mal pontuada destroi o melhor dos argumentos. Prefira sentenças curtas, com poucos cortes de vírgula. Lembre-se que pensar no uso da vírgula como apenas uma "pausa na leitura" é errado, pois o uso dela é mais complexo do que isso. Evite ainda as perguntas retóricas e o uso de exclamações.

Não invente na prova. Palavras rebuscadas ou mesóclise não enriquecem o texto, pelo contrário. Caso você não tenha noção exata do seu significado, esses recursos podem ainda acabar com o ponto que você defende. Ter um bom vocabulário não significa conhecer mais palavras do que os outros, mas compreender o sentido da palavra no seu contexto e saber que um termo mais simples e usual muitas vezes é a melhor opção. E, na hora da prova, se tiver dúvida sobre a ortografia de alguma palavra, não arrisque e use um sinônimo.

Pratique a escrita antes da prova, argumente de forma coesa e sem enrolações. Uma boa dica é pedir para outras pessoas lerem sua redação e perguntar o que elas entenderam. Algumas vezes o texto só faz sentido para quem o escreveu e o autor só descobre isso quando é tarde.

Estude bastante e pratique com exercícios. O Ache Concursos deseja boa sorte.

Avalie esta notícia

Nota:

(3.7/5.0)

Concursos Abertos

Busca avançada de concursos
Concursos Previstos Últimas Notícias
carregando...
FAÇA UM COMENTÁRIO
Faça um comentário sobre este assunto
Enviar