Técnicas de memorização de estudo: 5 dicas para nunca mais esquecer

Aprenda a memorizar, de uma vez por todas, o conteúdo que você estuda diariamente e dê adeus ao famoso e horroroso "branco" na hora da prova daquele concurso almejado.

Por: Marluci Fontana
0
0 share
0 tweets
0 share

Se você chegou neste artigo é, certamente, porque mesmo estudando, estudando e estudando horas e horas, dias a fio, não tem conseguido perceber evolução no seu aprendizado. Se você tem a impressão de ter se dedicado horrores e em seguida já não fazer ideia do que foi estudado, é sinal de que precisa mudar algumas coisas e inserir técnicas mais efetivas para adquirir, de fato, o conhecimento. Antes de saber sobre as ferramentas mais indicadas para lhe ajudar na memorização dos conteúdos estudados, é preciso verificar se você já está considerando e colocando em prática alguns fatores básicos que influenciam diretamente no aprendizado. 

Saúde em dia + ambiente adequado = concentração

A necessidade inicial e básica é a concentração. Sem ela nenhuma técnica funcionará. Para consegui-la você precisa, primeiramente olhar para si e para o seu redor. Se você não estiver bem consigo mesmo não terá condições de se dedicar a qualquer coisa que lhe exija algum tipo de esforço. Por isso, cuidar da alimentação, praticar exercícios físicos, ter uma boa noite de sono e reservar um período para o lazer (e desfrutar desse momento) são essenciais para estar com o corpo e a mente sãos.

O próximo e importante fator para alcançar a concentração é ter um local apropriado e fixo para os estudos. Primeiro você deve escolher um espaço com boa iluminação, uma cadeira e uma mesa. Nada de ficar confortável no sofá ou deitado na cama. Boa parte da sua vida você passa estudando em uma sala de aula, sentado e com o apoio de uma classe, por isso, é com essa postura que o seu corpo entende que precisa estar em alerta. Se você se deitar ou se ajeitar confortavelmente na cama ou no sofá ele compreenderá que é hora de relaxar e desviará a sua atenção. Além disso, o ambiente de estudos precisa estar limpo e organizado. Objetos fora dos seus lugares e sujeira tirarão o seu foco, mesmo que você não perceba.  Cuide também para eliminar todos os ruídos possíveis. Se não for possível, use fones que já ajudarão abafar os eventuais barulhos que possam surgir. Então, antes de abrir os livros, organize o seu cantinho de estudos para poder aproveitar ao máximo o seu tempo.

Rotina

Ambiente organizado, agora é hora de planejar os seus estudos e criar uma rotina produtiva para que o seu corpo entenda que em determinado local e horário ele precisará estar em alerta para adquirir conhecimento. A melhor forma de programá-lo é criando um plano de estudos e segui-lo, obviamente, à risca. Separe os assuntos entre aqueles que exigem estudo e os que só requerem revisão para definir quanto tempo será necessário para cada matéria. Uma forma de fazer esse cálculo é, por exemplo, dividindo o número de páginas por dias ou horas disponíveis. Após, crie um calendário e agende os assuntos conforme a sua disponibilidade. Não esqueça de contabilizar o tempo necessário para intervalos ou lanches e de reservar um período para os exercícios ou simulados de cada conteúdo. Neste artigo você encontra dicas bem bacanas para fazer o seu planejamento.

Prepare o seu cérebro

Agora que você já tem um calendário com o plano de estudos organizado chegou a hora de começar pra valer a estudar, certo?! Não, mas está quase. Antes de iniciar a sua leitura desligue os aparelhos e notificações de redes sociais (caso precise do computador para estudar) que podem tirar a sua atenção. Feito isso, é hora de esvaziar o seu cérebro e prepará-lo para todo o conteúdo que está prestes a receber. Para "limpá-lo" é preciso tirar todas as preocupações possíveis. Normalmente, ficamos pensando em compromissos futuros, tarefas que precisam ser cumpridas, entre outras preocupações, e nessa viagem nos perdemos do que realmente precisamos fazer no real momento. Para evitar esse deslocamento mental com o que precisa ser feito, uma possibilidade é anotar os compromissos e tarefas em uma boa e velha agenda ou utilizar um gerenciador de tarefas online para se programar melhor. Assim, você não "gastará" a sua memória com o que deve ser feito em outro momento e estará mais aberto para armazenar o que realmente interessa. 

Outro quesito importante é preparar o cérebro para que ele seja seu aliado e não seu vilão. Para isso evite o negativismo. Não se boicote. Se você pensar no momento de estudo como um sacrifício, uma tortura, algo chato e ruim o seu cérebro irá tentar fugir dessa situação fazendo com que você fique bocejando, pensando em coisas melhores pra fazer, procurando desculpas para si próprio deixar essa chatice de estudar e fazer algo mais agradável. Por isso, tente focar no seu objetivo final e o quanto depende dos estudos para alcançá-lo. Busque, diariamente, motivação para estudar e perceba que, ao concluir o seu propósito, você se sentirá muito melhor. Para saber como se motivar leia as dicas desse artigo.  Agora, que está tudo preparado, organizado e entendido, podemos passar para as técnicas de memorização que farão você aprender de forma mais eficiente o conteúdo estudado. 

Cinco dicas para nunca mais esquecer 

1. Resumos

Após as leituras e as aulas assistidas uma forma que irá te ajudar a, de fato, a memorizar conceitos e outras informações importantes, é colocando no papel o que você entendeu do que leu. Veja bem, não se trata de transcrever trechos inteiros, nada de copiar e colar. Escreva, resumidamente, o seu entendimento de maneira simples. Para ser mais fácil, enquanto lê livros, textos ou assiste às aulas o ideal é que você já vá rabiscando as suas impressões ou encontrando as palavras chaves, para que depois, quando for construir o seu resumo, as ideias fiquem mais claras. Outra possibilidade é desenvolver, a partir dos resumos, mapas mentais. Para saber como fazer um mapa mental veja as dicas desse artigo. Assim, você conseguirá memorizar melhor o assunto e ainda terá um bom material para as revisões. 

2. Autoexplicação

Pra ter certeza de que você está entendendo o conteúdo tente explicá-lo, em voz alta, para você mesmo. Isso aí, imagine que você vai dar uma aula sobre o assunto e comece a explicar como se estivesse passando a informação para o seu aluno, que neste caso, é você. Não é para ler em voz alta. É para fazer uma autoexplicação, com as suas palavras, sobre o que você entendeu. Essa prática influenciará na memorização do conteúdo, tirará o seu cérebro da inércia da leitura e para processar a informação e transformá-la em conhecimento. Além disso, irá ajudá-lo a compreender melhor o assunto.

3. Simulados

Resolver questões e simulados, além de testar o seu conhecimento e prepará-lo para a prova oficial, ajudam a criar memórias de longa duração. Por isso, intercale os estudos com resoluções de exercícios. Ao praticar você também vai ficar mais confiante na hora da prova e tudo irá te ajudar a espantar o tal do "branco".

4. Acrônimos

São siglas que você inventa para gravar assuntos que exigem, além do entendimento, uma certa decoreba. Normalmente as abreviações ou siglas são compostas das iniciais ou das primeiras sílabas das palavras a serem memorizadas. Essa é uma técnica muito válida, principalmente, para saber conceitos, nomes. Por exemplo, CONSUNICOS: CONSciência da UNIdade CÓSmica. Faça você mesmo. Coloque essa ferramenta em prática e veja o quanto ela pode te surpreender.

5. Associações e vínculos

As associações e vínculos lembram os acrônimos e são úteis para decorar, principalmente, detalhes como, por exemplo, números, definições e listas. Ficará mais simples memorizar a sequência de informações quando associar uma palavra a cada um dos conceitos. Depois disso, monte uma frase ou sequência de frases usando as palavras associadas sequencialmente. Frases e historinhas malucas também funcionam como gatilho de memória. Por exemplo, para os estudantes de Direito Penal memorizarem as finalidades da pena de condenado, é possível montar uma frase estranha, mas funcional: a pena transforma o condenado em um Saci PeReRê. A palavra Pererê traz as letras iniciais das finalidades da pena: Prevenir novas condutas delituosas; Retribuir (ao mal do crime o mal da pena), Reintegrar o condenado à convivência social. Após as associações prontas, inclua-as nos resumos para ajudar ainda mais na memorização.

E aí, memorizou todas as dicas? Então, agora é só colocá-las em prática e seguir no rumo da aprovação. Confira a nossa seção de artigos com dicas super úteis para estudar mais e melhor. 

Avalie esta notícia

Nota:

(5.0/5.0)

Concursos Abertos

Busca avançada de concursos
Concursos Previstos Últimas Notícias
carregando...
FAÇA UM COMENTÁRIO
Faça um comentário sobre este assunto
Enviar