O processo seletivo do IBGE vai contratar mais de 200 mil pessoas para o censo 2021. As oportunidades serão para Agente Censitário Municipal, Agente Censitário Supervisor e Recenseador. A remunerações chegam a R$ 4.500,00 mensais e as inscrições já estão abertas pelo site da banca Cebraspe.

Muitos estão se perguntando se vale a pena ou não participar da nova seleção, tendo em vista que o trabalho será temporário e sem chances de progressão ou efetivação no cargo. A resposta é: depende. É necessário analisar a situação de cada um, desde termos financeiros, estudo, área de atuação, etc. Vamos analisar cada situação para entender se vale a pena participar da seleção.

Total de Vagas

204.307

Início inscrições

19/02/2021

Fim Inscrições

19/03/2021

Salários até

R$ 4.500,00

Prepare-se: Apostila de estudo para prova de Recenseador do IBGE

Motivos para fazer a seleção do IBGE para o Censo Demográfico

Situação 1: estou desempregado no momento

Bom, todos sabemos que o desemprego hoje no Brasil vem crescendo por conta de muitos fatores e a pandemia veio para agravar ainda mais a situação. Se você está no momento sem emprego e precisando colocar as contas em dia, está com dificuldades de se recolocar no mercado de trabalho e não está estudando especificamente para um concurso (ou está), fazer o processo seletivo não é uma má ideia.

Afinal, serão milhares de vagas com ganhos que partem de R$ 1.700,00 e podem chegar a R$ 4.500,00. Tais remunerações são bem interessantes se comparadas às vagas oferecidas em funções de nível fundamental e médio na iniciativa privada. Um dos pontos negativos nesse caso é que não há chance de ser efetivado, já que o contrato é temporário e varia de 3 a 10 meses, dependendo da função.

Situação 2: estou empregado no momento

Nesse caso, você está de certa forma estável por estar em um emprego formal. É importante colocar na ponta do lápis se vale a pena arriscar o emprego atual para exercer uma função temporária. Obviamente, muitos querem mudar de ramo, de área, ou não estão satisfeitos com o emprego atual e querem de qualquer maneira sair e se arriscar em novas oportunidades. Aí, vai de cada pessoa se vale a pena ou não.

Situação 3: já sou concurseiro

É uma boa oportunidade para quem já está com uma preparação em andamento. Veja, as disciplinas desse processo seletivo são reaproveitáveis, pois os conteúdos que serão cobrados são os de língua portuguesa, raciocínio-lógico quantitativo, ética no serviço público, noções de administração/situações gerenciais e conhecimentos técnicos.

Bom, esse tópico de conhecimentos técnicos não será tão aproveitável, mas o resto cai em quase todos os concursos, pois são disciplinas bem básicas. Nesse caso, analise e veja se é a oportunidade ideal nesse momento. Caso tenha um edital mais específico e com a data da prova marcada ou um edital já lançado, talvez não seja uma boa ideia focar em outro edital.

Situação 4: estou sem fazer nada no momento

Caso esteja interessado em ocupar o seu tempo, mesmo que esteja em uma situação confortável, por que não? Não só pela questão da remuneração, e sim pela experiência, conhecimento, aquisição de novas habilidades. Assim, os ganhos não serão apenas financeiros, mas também de vida.

Prepare-se: Apostila de estudo para prova de Recenseador do IBGE

Situação 5: trabalho eventualmente/casualmente/sem horáro fixo

É uma chance de aumentar a renda e enriquecer o seu currículo. Isso porque, caso não tenha um emprego fixo e você faça os seus horários ou não trabalha em dias certos, poderá se organizar e assumir mais de uma função. Lembrando que se você tiver outra função, emprego ou cargo público, não poderá acumular com a função do IBGE! Tome cuidado, leia o edital atentamente e veja as restrições para cada caso.

Situação 6: sou concurseiro e estou desempregado

Como já foi dito anteriormente, as disciplinas poderão ser reaproveitadas e você não perderá tempo estudando matérias muito diferentes do que está vendo nesse momento. Ainda, se não estiver trabalhando, é uma oportunidade bem legal para conhecer de perto e trabalhar em uma instituição pública e ganhar uma renda durante esse tempo. Poderá custear seus materiais de estudo, pagar as taxas de inscrição e até mesmo viajar para fazer uma prova em outra cidade/ estado ou até mesmo guardar para futuros investimentos.

Situação 7: já sou servidor/empregado público

Infelizmente nesse caso você tavez não possa participar da seleção. Isso porque, o Art 37, XVI e XVII da Constituição Federal diz o seguinte:


XVI - é vedada a acumulação remunerada de cargos públicos, exceto, quando houver compatibilidade de horários, observado em qualquer caso o disposto no inciso XI:
a) a de dois cargos de professor;
b) a de um cargo de professor com outro técnico ou científico;
c) a de dois cargos ou empregos privativos de profissionais de saúde, com profissões regulamentadas;
XVII - a proibição de acumular estende-se a empregos e funções e abrange autarquias, fundações, empresas públicas, sociedades de economia mista, suas subsidiárias, e sociedades controladas, direta ou indiretamente, pelo poder público;

Além disso, nos tópicos 3.8 dos editais, está dentre os requisitos básicos de contratação:


Não estar incompatibilizado com o disposto no art. 6º da Lei nº 8.745/1993, que proíbe a contratação de servidores da Administração direta ou indireta da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, bem como de empregados ou servidores de suas subsidiárias e controladas. São aplicadas também as restrições à contratação de aposentados previstas no art. 37, § 10 da Constituição Federal/1988, ou seja, não podem ser contratados servidores aposentados de cargos efetivos da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, incluídas suas autarquias e fundações; membros aposentados das Polícias Militares e Corpos de Bombeiros Militares, membros aposentados das Forças Armadas.

De qualquer forma, em todos os casos você precisa analisar com calma para saber se nesse momento prestar o processo seletivo é uma boa opção. Assim, cada um sabe das suas necessidades e ambições. Então, boa escolha!

Inscrição no IBGE

O período de inscrições para as seleções é diferente entre os editais. Para os cargos de Agente Censitário Municipal e Supervisor, as inscrições devem ser realizadas das 10 horas do dia 19 de fevereiro até as 23h59min de 15 de março de 2021, pela internet, por meio do endereço eletrônico www.cebraspe.org.br/concursos/ibge_20_agente. A taxa de inscrição custa R$ 39,49.

Prepare-se: Apostila de estudo para prova de Recenseador do IBGE

Já as inscrições para concorrer na função de Recenseador serão abertas às 10 horas do dia 23 de fevereiro e seguem até as 23h59mim do dia 19 de março de 2021, também pelo Cebraspe, no site www.cebraspe.org.br/concursos/ibge_20_ recenseador. Será cobrada taxa de inscrição no valor de R$ 25,77.